Os desafios da gestação na pandemia

Mães revelam as principais preocupações e alegrias durante o isolamento social com o bebê


Mayara Rabelo


A gestação é um dos momentos mais marcantes na vida de uma mulher não é mesmo? No entanto, a pandemia trouxe incertezas, medo e insegurança durante a gestação e no momento do parto do bebê.


Segundo a ginecologista e obstetra e voluntária do Horas da Vida, Dra.Silvia Saito Yamada, a gestação na pandemia deve seguir com cuidados redobrados. “Devemos sugerir que as gestantes fiquem em casa (isolamento social) se possível, evitar ir ao pronto atendimento desnecessariamente e evitar contato com pessoas doentes. Lavar as mãos com água e sabão com frequência. As consultas do pré-natal devem ser seguidas, não faltar, pois o acompanhamento com orientações e exames é muito importante”, explica.


Para Leticia Nunes, 27, assistente financeira, que descobriu a sua gestação quando completou cinco semanas em janeiro durante a pandemia, o sentimento foi uma mistura de alegria e preocupação. “O meu maior medo é ter COVID-19 neste período de gestação e com as lotações nos hospitais fico com receio de como será o meu atendimento”, explica.



Gláucia Fernandes e seu filho Gustavo


A agente de captação de recursos do Horas da Vida, Gláucia Fernandes também compartilhou do mesmo sentimento de Letícia, o medo e a insegurança durante a gravidez. “A gestação sempre é um motivo de preocupação pela formação do bebê e o medo e insegurança com este vírus foi algo terrível por não saber qual procedimento tomar caso fossemos infectados, se poderia prejudicar a formação do bebê ou deixar alguma sequela após o seu nascimento”, disse.


Bebê a bordo


O número de bebês nascidos em casas com parto humanizado na cidade de São Paulo aumentou 22,5% no período da pandemia no ano de 2020, de acordo com dados da Prefeitura. Segundo uma matéria publicada no G1 foram 643 crianças nascidas em 2020 nas duas unidades de parto municipais da capital.


O nascimento do bebê promove diversas mudanças na vida do casal e de seus familiares. Mas, em tempos de pandemia, o isolamento social fez com que os abraços e gestos de carinhos fossem substituídos por telas de computadores e telefone com acesso à internet. “Foi o momento mais feliz da minha vida pelo nascimento do bebe, mas foi muito triste não poder ter o apoio da minha mãe e dos familiares próximos para assistir o parto e receber visitas. Depois do parto, sofri com a privação de sono e com a falta de uma rede de apoio para fazer algumas coisas em casa. Estava muito sensível e a pandemia agravou isso”, relata Gláucia.


De acordo com a Dra. Silvia, com a pandemia o casal ficou ainda mais isolado. “Sem visitas e comemorações, por ser mais seguro para o bebê, os casais tiveram que se adaptar a esta nova realidade, porém, muitos ficaram mais unidos e puderam dividir tarefas cotidianas e se conhecerem melhor’, disse.


Cuidados durante a gestação na pandemia


Confira as recomendações da Dra. Silvia para as futuras mamães: • Vá ao consultório apenas no horário de sua consulta; • Mantenha distância de outras pessoas que estiverem na sala de espera; • Avalie a possibilidade de ir sozinha à consulta, sem acompanhante, para evitar aglomerações no consultório; • Utilize máscara e caso tenha sintomas respiratórios, avise o seu médico; • Adote medidas de etiqueta respiratória: cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel quando tossir ou espirrar, descarte o lenço usado no lixo ou utilize o antebraço para cobrir a boca e nariz ao espirrar e tossir; • Higienize as mãos com frequência e evite tocar nos olhos, nariz e boca sem ter higenizado as mãos.